Sobre o Blog




Já faz um tempo que tenho um blog (Vivendo Entre Aspas) - desde 2012, quando haviam um zilhão de blogs bombando por aí. Sempre tive esse espaço como refúgio, um lugar para poder falar o que eu pensava; dar a minha opinião sobre moda, fazer looks legais e compartilhar. A verdade é que a minha realidade sempre foi diferente ( assim como a de todo mundo, é claro, já que cada indivíduo tem sua própria experiência.) Gastei horas arrumando o meu espaço, tentando falar de coisas bacanas mas, nada saía como planejado. Isso me levou a questionar: " Por que você investe tanto tempo nisso, Hadassa? " E no meio de uma correria ou outra, eu me perdi.
Estou em casa novamente, e alguns dias da semana tenho muito tempo para pensar - isso às vezes é bom... por outro lado, não. Lembrei de alguns fatos curiosos, coisas de infância e vocês sabem: essas coisas são sempre um pouco dolorosas. Desde pequena quis ser Designer de Moda. Eu rabiscava em umas folhas soltas e sonhava alto, muito alto. Eu me recordo de que, no ensino fundamental, uma colega olhou pra mim e falou ( e aqui estarei parafraseando- a da melhor maneira possível ): " Sabe Hadassa, você não tem cara de estilista. Sei lá, não vejo você nisso. " Doeu, confesso. E tentando me defender, eu apenas disse que ela também não combinava com a profissão que tinha escolhido.
O fato é que realmente existem poucas pessoas pretas na indústria da moda. Existem poucos estilistas; modelos e "it girls" nesse ramo - principalmente no Brasil, apesar de ser " país da diversidade ", de igualdade não há nada.
E já uma designer formada, fiquei sabendo que uma ex-professora minha de inglês havia se surpreendido em saber que tinha cursado Moda, porque ela nunca achou que eu sabia me arrumar bem. A vida seguiu. Entretanto, com algumas percepções que adquiri com o tempo, volto com um novo questionamento: Será que o fato de aquelas pessoas, entre outras, não me "imaginarem" pertencente ao mundo da Moda reduzisse a meras "opiniões"; ou na verdade, eu estava de frente à ideia socialmente estruturada e construída há anos, de que nenhum negro poderia/deveria estar em uma posição de destaque - ou simplesmente em uma universidade?
Não sei se, a não ser que seja para fins de pesquisa, as pessoas ainda tenham tempo de ler o que outras escrevem - se você leu até aqui: ual, obrigada! Entretanto, estou fazendo isso primeiramente, por mim.
Foi refletindo a respeito disso que, a partir de uma revelação divina, eu decidi voltar com o meu blog. Resolvi pesquisar e averiguar, na medida do possível, essas minhas inquietações em relação a moda e como as pretas e pretos se relacionam com ela nas mais diferentes vertentes. Quero conhecer, a cada dia mais, conhecer a mim mesma; e tratar de sanar essas questões que me cercam desde pequena, encontrar minhas próprias referências e ajudar negras e negros as encontrarem também. Antes, o nome do blog era Vivendo Entre Aspas. Porém ele não me veste mais. Eu mudei. Viver entre aspas não é viver plenamente - não é o suficiente para mim. Há os dias azuis e há, também, os dias desmotivantes. Hoje, contudo, uma parte de mim tem algo muito importante a dizer. Se você (menina, moça, mulher) negra, tem grandes sonhos, experiências (boas ou ruins) com o universo da moda/arte em geral e quiser compartilhar, saiba que aqui sempre encontrará um espaço - sua fala é importante, nunca se esqueça disso. Vocês podem produzir e serem o que quiser, quando e onde quiserem. Eu acredito em você.
Aquela era uma Hadassa diferente. Acontece que finalmente entendi o que é necessário falar e bem... estou falando!
#Seessapretafalasse é um projeto de uma nova fase pra mim, na qual espero poder inspirar e aprender muito.
Obs: para os que acompanhavam o Vivendo entre Aspas: Sim, irei continuar com as minhas crônicas e não apagarei as postagens antigas.

Popular Posts

Curta

pinterest